Alô Dourados Imagens: Micael Ferreira

Professores do ensino fundamental, aprovados em concurso da Reme (Rede Municipal de Ensino) realizado em 2016, mas que não foram convocados, estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira (18), em frente à prefeitura de Dourados, pedindo uma resposta da prefeita Délia Razuk.

Com faixas escritas “Sem desculpas, sem demora! Vagas existem! Nomeação Já!”, os profissionais foram recebidos pelo secretaria Municipal de Educação, Upiran Gonçalves que, por sinal, posou para foto junto aos manifestantes.

À reportagem do Alô Dourados, os professores contaram que chegaram pela manhã e inicialmente foram proibidos de afixar os cartazes no local.

“Essa reivindicação do nosso concurso está sendo uma novela, estamos aguardando. A prefeita chamou os convocados, mas nós queremos que os aprovados no concurso sejam efetivados, pois temos muitos professores esperando e claro, contamos com o bom senso da prefeita”, disse.

Da prefeitura, a categoria se dirigiu à Secretaria Municipal de Educação, e foram, como já citados, atendidos pelo Upiran. Segundo ele, ontem (17), esteve conversando com a administração e constatou que existem vagas para novas convocações.

“Evidentemente nós temos ciência de que existem vagas puras. Em 2018 quando estava chegando ao término da validade do concurso surgiu um questionamento: vai prorrogar? Porque poderia prorrogar, no entanto, havia um posicionamento contrário. O meu posicionamento sempre foi que, se eu tenho um concurso vigente, se tenho candidatos aprovados, porque vou realizar outro? Gerar gastos para o município e não chamar os que já estão aprovados?”, comentou Upiran.

O secretário também citou a Lei Federal da pandemia da Covid-19 que veta novas nomeações e contratações enquanto durar a doença no país.

“Olhei no sistema e há 100 vagas para os professores, minha meta até o fim do ano, fim do mandato, é convocar todos, é preencher essas vagas que estão disponíveis”, finalizou o titular da pasta.

 
Veja também

Olá, deixe seu comentário para Professores aprovados, mas não convocados, manifestam em frente à prefeitura