Da redação

Homem mais rico do Brasil, o banqueiro Joseph Safra morreu, aos 82 anos, de causas naturais. Seu José, como era chamado pelos mais próximos, nasceu em 1938 no Líbano e imigrou para o Brasil na década de 1960, para dar continuidade aos negócios de seu pai, construindo os sólidos alicerces do Grupo Safra, mais conhecido no Brasil como Banco Safra.

Liderava o ranking de mais ricos do Brasil com fortuna de R$ 119 bilhões, de acordo com o último levantamento realizado pela revista Forbes. Estava bem à frente do segundo colocado, o investidor Jorge Paulo Leman, com patrimônio avaliado em R$ 91 bilhões.

Já no ranking feito pela agência Bloomberg, Joseph Safra aparece como segundo mais rico do Brasil com uma fortuna estimada em US$ 17,6 bilhões. Nessa lista, Jorge Paulo Lemann lidera a lista brasileira com US$ 23,7 bilhões.

Em nota, o banco diz que foi um "foi um grande banqueiro, um verdadeiro empreendedor que construiu o Grupo Safra no mundo, obtendo sucesso por sua seriedade e visão de negócios. Foi um grande líder e muito respeitado dentro e fora da organização".

Reservado, sempre foi entusiasta das artes e um grande filantropo. Torcedor do Corinthians, casou-se com Vicky Sarfaty, com quem teve quatro filhos e 14 netos.

O sepultamento será nesta quinta-feira no cemitério do Butantã acompanhado por familiares e amigos.

Repercussão


“Joseph Safra foi um homem de coragem. Após imigrar para o Brasil, teve participação fundamental no desenvolvimento do setor bancário do País, empreendendo também em outras áreas com destemor e eficiência. Seu nome se tornou sinônimo de humildade e filantropia não só no Brasil, mas em todo o mundo. Meus sinceros sentimentos a toda a família, colaboradores e amigos, que certamente seguirão seu legado.”

Sérgio Rial, presidente do Santander Brasil

“Recebemos com pesar a notícia do falecimento do Joseph Safra. Empresário dotado de grande energia, adotou o Brasil como pátria e construiu uma das principais instituições financeiras do país. Com o Grupo Safra, rompeu fronteiras e foi um dos pioneiros no mercado financeiro a se destacar internacionalmente. Aliou ao papel de grande empresário aquele de grande filantropo, compartilhando assim seu êxito com a sociedade. Em nome da comunidade Itaú Unibanco, presto condolências aos familiares e amigos de Joseph Safra.”

Candido Botelho Bracher, presidente do Itaú Unibanco

"O legado de sua atuação no desenvolvimento da economia nacional ficará sempre marcado na história do Brasil, país que ele adotou 58 anos atrás. Sua contribuição para escolas, museus e instituições, não só no Brasil, quanto em outros países, é marcante."

Isaac Sidney, presidente da Febraban

“É com profundo pesar que recebemos a notícia do falecimento do senhor Joseph Safra. Nos causa impacto e lamento, pois Joseph Safra representa respeito, admiração e credibilidade para todos nós da Organização Bradesco. Nos solidarizamos com a família e seus milhares de colaboradores, clientes e amigos.


O ‘seu José’, como era reconhecido em nosso meio, consolidou-se em vida como um símbolo de confiança do mercado financeiro nacional. Praticando os melhores fundamentos da atividade bancária, ao longo de toda uma vida, iniciada no Líbano, ele dedicou-se pela vocação de líder e banqueiro, tornando-se rapidamente um nome conhecido e respeitado no mercado global.


A marca Safra destacou-se nos principais mercados do mundo, destacando-se entre os competidores como exímio gestor do patrimônio das famílias.


No Brasil, dividia o comando do Banco Safra com uma intensa atividade filantrópica e profundo amor pelas artes, sendo sempre um dos principais beneméritos da grande comunidade judaica em nosso País. Por seus méritos, amealhou fortuna, mas sua atuação em sociedade era ressaltada pela máxima elegância e discrição, aquelas qualidades que distinguem os grandes homens.  À senhora Vick Safra, aos filhos Jacob, Esther, Alberto e David, os nossos sentimentos.”

Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do conselho de administração do Bradesco.

 

CNN Brasil 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Homem mais rico do Brasil, o banqueiro Joseph Safra morre aos 82 anos