04/03/2024 08:30 1 mês atrás

Homem é preso pela Polícia Civil após assassinato da esposa e provocação de aborto



Fernando vai responder pelo crime de feminicídio e "aborto provocado por terceiro"; Foto: Reprodução/Redes Sociais

Foi preso na manhã de domingo (3/3), por policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais) da delegacia de Bela Vista, Fernando Chucarro Dias, de 35 anos, que matou Gisely Duarte Galeano, também de 35.

O autor responderá pelos crimes de feminicídio qualificado e majorado pela gravidez e aborto provocado por terceiro, já que a vítima era gestante e devido às agressões, sofreu um aborto.

Já no dia 5 daquele mês, a mulher conseguiu denunciar o agressor, mas não solicitou medidas protetivas, isso porque, conforme consta no registro policial, ela suspeitava da gravidez, só não tinha certeza.

Em 18 de fevereiro, Fernando, que reside em Bela Vista, entrou em contato com até então, ex-mulher, pedindo para reatar o relacionamento e que ela fosse até sua cidade, como de fato aconteceu. Ainda como noticiado anteriormente, foi quando a vítima sofreu uma série de agressões e retornou para Ponta Porã lesionada e foi para a casa, mas não contou nada a ninguém.

No dia seguinte, familiares foram até a residência dela e ela os atendeu com o portão entreaberto. Preocupada, a irmã tentou constato, mas a mulher não atendeu as ligações e nem respondeu as mensagens. Em 20 de fevereiro, ela retornou à casa de Gisely e a encontrou deitada no sofá, reclamando de fortes dores abdominais.

Diante disso, ela foi socorrida e levada para o Hospital Cassems de Ponta Porã, onde foi constatado o aborto e um derrame encefálico, provocados pelas agressões de Fernando. Devido ao estado de saúde, a vítima foi transferida para o hospital [Cassems] de Dourados.

Na última terça-feira (27/2), a irmã registrou um novo Boletim de Ocorrência, e na quarta (28/2), por volta de 11h40, Gisely não resistiu e faleceu.

Ligado na Notícia 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Homem é preso pela Polícia Civil após assassinato da esposa e provocação de aborto