Alô Dourados

Nas ruas, comerciantes na fronteira entre Brasil e Paraguai exigiram hoje (22), a reabertura das lojas que estão fechadas desde o início da pandemia. Algumas até reabriram, mas brasileiros não podem ultrapassar a linha internacional entre os dois países.

Segundo o Midiamax, autoridades paraguaias sinalizaram que a região ficará de fora do protocolo formalizado na semana passada que permite a volta aos trabalhos.

Até agora, mais de 5 mil trabalhadores já perderam o emprego e outros 700 podem ficar desempregados, já que a rede Maxi de Supermercados informou em postagens que circulam nas redes sociais, que deve fechar as três unidades que funcionam em Pedro Juan, caso a fronteira não seja reaberta.

Os comerciantes criticam o Governo do país vizinho que insiste em reabrir somente a fronteira Ciudade Del Leste, na divisa com Foz do Iguaçu, no (PR). Segundo eles, a situação da economia local é de total estrangulamento e pode ficar ainda pior.

“Prejudicar a fronteira já não faz sentido, muitos comerciantes já fecharam definitivamente as suas lojas e os poucos que sobrevivem estão prestes a jogar a toalha”, disse o presidente da Câmara de Comércio de Pedro Juan Caballero, Victor Barreto.

 
Veja também

Olá, deixe seu comentário para Comerciantes exigem reabertura do comércio da fronteira