Por Helio de Freitas Agência Brasil Imagem: Divulgação

Acampamento e roças de maconha foram encontrados em reserva ambiental no Departamento de Canindeyú

Agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), do Paraguai, fizeram outra investida contra produtores de maconha na fronteira com Mato Grosso do Sul. Mais uma vez os traficantes usavam área de preservação ambiental para cultivo da erva.

Em operação iniciada nesta quinta-feira (28), 520 quilos da droga prensada foram incinerados e nove hectares de roças da planta foram cortados e queimados na Reserva Natural Morombí.

A reserva fica no Departamento (equivalente a Estado) de Canindeyú, cuja capital é Salto del Guairá, cidade vizinha de Mundo Novo (MS), a 476 km de Campo Grande. Essa província tem quase 200 km de fronteira seca com Mato Grosso do Sul, do município de Paranhos até Mundo Novo.

Dentro da mata fechada, os agentes da Senad localizaram o acampamento usado pelos traficantes. No local foram encontrados equipamentos usados para processar a droga e meia tonelada da maconha já pronta para ser enviada ao Brasil.

Os agentes especiais também destruíram as plantas em fase de crescimento. Os nove hectares produziriam pelo menos 9.000 quilos, segundo cálculos da agência paraguaia. A droga foi incinerada no próprio local. Ninguém foi preso.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Agência antidrogas destrói mais 9,5 toneladas de maconha na fronteira