Da redação

O MDB retirou o apoio à candidatura de Simone Tebet e impôs derrota antecipada à senadora sul-mato-grossense na eleição pela presidência do Senado, prevista para segunda-feira (1º). Maior bancada na Casa, o partido negocia para apoiar o senador Rodrigo Pacheco (DEM), de Minas Gerais, que conta com o apoio do PT e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em reunião realizada nesta quarta-feira (27), os senadores do MDB pressionaram Simone a desistir da disputa em nome do consenso. Ao deixar o encontro, ela anunciou que continuará na disputa até o fim. A sul-mato-grossense procurou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), padrinho de Pacheco, para anunciar a disposição de ir até o fim.De acordo com o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga, do Amazonas, vários senadores manifestaram-se contra a manutenção da candidatura de Simone à presidência do Senado. Eles defendem que a sigla feche com Pacheco em troca da vice-presidência e cargos em comissões.
Os emedebistas tinham aclamado o nome de Simone por unanimidade. No entanto, eles ficaram frustrados com a falta de apoio da senadora. Ela prometia atrair o apoio do PSDB, Rede, Podemos e Cidadania. No entanto, dos sete tucanos, apenas três fecharam com a sul-mato-grossense. O mesmo ocorreu no Podemos, onde dois dos nove senadores vão votar no democrata.
“Nós não discutimos a desistência, e sim o cenário, porque a candidatura da Simone foi construída por aclamação.

Quando fizemos isso estávamos diante de algumas expectativas de apoio de alguns partidos, que em parte não se confirmaram”, explicou Braga.
“A senadora reafirmou que é candidata e que compreende a decisão do partido, mas que manterá sua candidatura. Ela poderá levar a sua candidatura ao plenário, essa é uma questão que o MDB ainda está discutindo”, contou o amazonense.
Sem o respaldo do MDB, Simone poderá manter a candidatura avulsa, uma espécie de protesto contra Pacheco.

Antes da retirada do apoio do MDB, a ex-prefeita de Três Lagoas contava com o apoio de 29 senadores, contra 47 de Pacheco. Com a debandada no próprio partido, Simone sofre uma derrota antecipada na disputa.

Ao tentar retirá-la, os emedebistas tentam garantir a eleição de Baleia Rossi (MDB) na Câmara dos Deputados. Ele poderá contar com o apoio do DEM, partido de Alcolumbre do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

O JACARÉ.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para MDB retira apoio e impõe derrota antecipada a Simene na eleição pelo comando do Senado