FOTO: Jeferson e Messias de Souza, candidatos do PMN.

 

O juiz eleitoral, Cesar Lima, convalidou o registro de candidatura do jornalista Jeferson Bezerra e do motorista Messias de Souza respectivamente aos cargos de prefeito e vice-prefeito de Dourados, eles são filiados ao Partido da Mobilização Nacional (PMN). "Nossa assessoria já tem em mãos o projeto de lei a ser encaminhado ao Legislativo até fevereiro do ano vindouro pela reformulação da Rede de Saúde Pública, vamos instaurar auditoria interna na Fundação Municipal de Saúde (Funsaud) e Secretaria de Saúde, propondo a extinção das duas pastas que são instrumentos destinados à canalização da corrupção, isso desde o inicio dos anos 80", diz Bezerra.

"Será criado a Superintendência da Atenção Básica, das Especialidades, da Urgência, Emergência e Trauma, órgão ligado diretamente ao Gabinete do Prefeito e Procuradoria Geral, instituindo sua fiscalização por um Conselho Intersetorial a ser criado oportunamente, dando poder à sociedade civil no seu acompanhamento, criando cadeiras fixas ao Ministério Público, Conselho Regional de Medicina (CRM-MS), Conselho Regional de Enfermagem (COREN), Conselho Regional de Serviço Social (CRESS), trabalhadores, usuários e demais entidades de classe no segmento", explicou.

"Idealizada desde 1977 na gestão do prefeito José Elias Moreira, foi um erro criar a Secretaria de Saúde que se tornou um mero aparelhamento dos interesses privados, em detrimento da coletividade, claro que devemos generalizar e evitar citar nomes que rotulam os ex-prefeitos neste quesito. Mas sinto muito em dizer, não tenho nenhum compromisso de segurar as contas dos antigos prefeitos, e nas auditorias propostas na Funsaud e Secretaria de Saúde, todos os responsáveis por eventuais irregularidades deverão ser responsabilizados na esfera civil, penal e fiscal", mencionou.

Bezerra explica que a espinha dorsal do seu mandato no Executivo municipal será devolver a gestão plena da saúde ao Governo Estadual, mesmo que isso seja nas vias judiciais. "Cada prefeito dos 33 Municípios aos arredores irão arcar com o gerenciamento da sua saúde, se preciso iremos levar ao Parlamento a aprovação de leis que proíbam a entrada de ambulâncias oriundas das outras localidades no Hospital da Vida e Unidade de Pronto Atendimento (Upa). Caso a legislação permitir, vamos retirar os servidores cedidos pelo Município ao Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), objetivando pressionar a elaboração de convênios visando evitar a prioridade à pacientes exportados para Dourados até de regiões pantaneiras. Uma vez regulamentado essa problemática, os funcionários serão realocados na unidade hospitalar federal, otimizando a clientela local", finalizou.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Jeferson Bezerra: "Faremos a varredura das contas extinguindo a Funsaud e Secretaria de Saúde"