*Luiz Guilherme para o Alô Dourados

O Alô Dourados conversou com exclusividade na tarde desta quarta-feira (8), com o novo secretário municipal de Saúde de Dourados, Gecimar Teixeira Júnior. Ele assumiu o lugar até ontem (7), ocupado pela assistente social Berenice Machado.

O médico tem 36 anos, formado em medicina pela UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), em Cuiabá, atua no Hospital do Coração, Evangélico e Santa Rita.

Recentemente, Gecimar que está na linha de frente no combate ao Novo Coronavírus acabou sendo contaminado.

A reportagem perguntou se ele considera que Dourados seja o epicentro da Covid-19 no Estado, como a própria SES (Secretaria Estadual de Saúde) afirma, e que gera ‘embates’ entre a pasta o Comitê de Gerenciamento de Crise do Novo Coronavírus do município.

“Não creio que Dourados seja o epicentro da doença, mas que estamos em uma situação de alarme, não podemos negar. Os Hospitais da cidade têm se empenhado no enfrentamento da doença, tanto a rede privada quanto a rede pública”, afirma.

Gecimar disse que outro problema é que a doença é nova, ainda não há vacina e nem tratamento específico, isto é, trabalhos científicos que indiquem tratamentos e remédios adequados.

“Assumi ontem. e já vejo que terei muito trabalho pela frente! Mas a boa vontade em resolver o máximo dos problemas, podem contar que tenho. Os primeiros passos no enfrentamento da Covid-19 é um maior investimento em vigilância epidemiológica e sanitária”, disse.

Ainda segundo o secretário, atualmente o Hospital Evangélico tem oito leitos respiratórios ocupados e 13 disponíveis; Hospital Santa Rita e Cassems, seis e nove, respectivamente.

O HU (Hospital Universitário), da UFGD, tem dez ocupados e 14 disponíveis; o HV Intensicare (Hospital da Vida) tem seis e dez ocupados; já a ala corresponde à Funsaud, são três e cinco; Ponta Porã tem seis e dez.

Por fim, Gecimar destaca que há 45/70 leitos funcionantes e que a taxa de ocupação em Dourados é de 64,2%.

 
Veja também

Olá, deixe seu comentário para “Estamos em uma situação de alarme”, diz novo secretário de Saúde