Da redação por Luiz Guilherme


Dourados é a maior cidade do interior de Mato Grosso do Sul e infelizmente nesta terça-feira (2), atingiu 339 casos confirmados do Novo Coronavírus, sendo ‘coroada’ como o epicentro da doença no Estado. Ou seja, é o principal município com alto índice de contágio.


Aos poucos, o caos provocado pela doença vai se instalando, prova disso é a falta de equipamentos de segurança para os profissionais da saúde que estão usando sacos de lixos como aventais nos atendimentos aos pacientes da rede pública.


A denúncia é do Sindcrase (Sindicato dos Agentes de Saúde Comunitários e Endemias de Dourados). Segundo a entidade, nas unidades de saúde estão faltando outros equipamentos de proteção individual e para não ficarem desprotegidos do contágio da Covid-19, os servidores estão fazendo vaquinha para comprar material.


A entidade também relata que foram enviadas apenas duas máscaras para cada equipe composta por seis agentes, e que, por isso, os servidores estão utilizando o sistema de rodízio e quem fica sem o equipamento, precisa tirar dinheiro do próprio bolso.


No entanto, nesta terça-feira (2), a prefeitura ‘retrucou’ o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, e disse que a cidade não é o epicentro do vírus no Estado.


A resposta partiu do assessor de gabinete da prefeitura, Alexandre Mantovani. “De fato, Dourados rebate esta afirmação”, se referindo à fala de Geraldo.


“Estes números têm crescido porque Dourados tem enfatizado a política de testes. Muitos municípios não estão apontando casos, porque consequentemente não estão fazendo testagens. Ainda que estes números assustem em um primeiro momento, isto é sinônimo de um planejamento”, disse Mantovani.


Aspecto também comentado pelo secretário Geraldo Resende, porém com divergências em relação a uma parte das afirmações.

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Dourados se aproxima do caos provocado pela Covid, mas prefeitura nega