Da redação

Prefeitura de Dourados ampliou as medidas restritivas porque o índice de internações continua alto, acima de 90%, e os casos de contaminação ainda estão em ritmo crescente

O novo Decreto Municipal (número 26), publicado neste domingo (17), que “dispõe sobre medidas para prevenção do contágio do Coronavirus”, trouxe, em edição extraordinária, novas regras restritivas, que entrarão em vigor nesta segunda-feira (18), com validade por 10 dias.


Apesar de Dourados ter recuado da bandeira Cinza (a mais grave) para a bandeira Vermelha do Programa Prosseguir, do Governo do Estado, os técnicos de saúde decidiram sugerir a suspensão do funcionamento das atividades de tabacarias, bares, boliches e sinuca.


No caso das conveniências, o decreto destaca que fica permitido o funcionamento de segunda a domingo das 11h às 18h, e após isso, somente na modalidade delivery, ou seja, de segunda a domingo, das 18 às 22h.


Mudanças também em relação aos casamentos. O decreto manteve a autorização para realizar celebrações religiosas, que poderão ocorrer com no máximo 30% da capacidade normal de cada local, não ultrapassando 80 (oitenta) pessoas dentro do recinto.

No entanto, eventos e comemorações de qualquer natureza, inclusive casamentos, em chácaras, espaços de eventos, salões de condomínios, quer sejam organizados por particulares ou empresas especializadas estão proibidos a partir de agora.


No documento, também foi inserido a proibição do funcionamento de saunas, aumentando a lista de locais vetados, que já contavam com bibliotecas, museus, teatros, cinemas, arenas e parques públicos.


O entendimento da equipe de saúde e do comitê de gerenciamento de crise do Coronavírus, que foi acatado pela Prefeitura de Dourados, é que na cidade o índice de internações continua alto, acima de 90%, e os casos de contaminação ainda estão em ritmo crescente, fatores que justificam ampliar a vigilância e também as medidas de prevenção.

 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para Diante do aumento de casos, novo decreto amplia medidas restritivas em Dourados